Oficina de Revelação e Ampliação P&B na CCMQ

26/12/2012

Entre novembro e dezembro tive a oportunidade de participar de 4 oficinas de fotografia (gratuitas) na Casa de Cultura Mario Quintana em Porto Alegre com o artista plástico e fotógrafo Amilcar Pinto. São oficinas fixas, então quem tiver oportunidade – FAÇA! Vale muito a pena! :)

Vou falar sobre todas aqui, mas hoje começo com a última e a mais legal de todas! A oficina onde revelei um negativo preto e branco pela primeira vez! Emoção minha gente! Kkkkkkk! E não “lavei” ele viu? Saíram todas as fotos lindas! *orgulho mode on*

Primeiro que a esperta aqui não imaginava que primeiro o negativo teria que ser revelado! Dãã! Achei que ele saía da máquina lindamente pronto – que era só revelar as fotos…! :P

Perdi acho que uns 20 minutos treinando de olhos fechados – como enrolar meu filme 120 no carretel – pra então poder entrar na escuridão total e começar o processo! É muito difícil fazer pela primeira vez! Mesmo! Mas depois você enrola tudo brincando! :P

Revelando o Negativo

O bom que o laboratório tinha potes para o carretel com tampa vedada, então todos os químicos podiam ser colocados na luz! Ufa!
Foram 20 minutos no total – mexendo a cada 30 segundos durante 10 segundos! Dels… E que divertido! Hahahaha!

Cada filme tem um tempo X de revelação!

Oficina de Revelação e Ampliação P&B na CCMQ

Emoção SUPER na hora que tirei meu negativo do pote! Hahaha! As fotos estavam lá – prontas pra serem reveladas! :)

Os negativos ficam pendurados com grampos nas duas pontas secando durante 24 horas mais ou menos. E depois de seco você pode olhar em uma mesa com luz, pra decidir qual fotos revelar! *-*

Oficina de Revelação e Ampliação P&B na CCMQ

MUITO legal cortar ele e colocar no saquinho plástico (igual quando a gente manda no laboratório)! Na segunda foto era o meu “Optimus Prime” – o ampliador que usei pra revelar as fotos! MEGA difícil achar o foco, ajustar a foto no papel… Tudo isso no escuro (luz de segurança vermelha nessa hora pode)!

Uma coisa que demora muitooooo (pra quem é novata como eu heueheuehe) é o teste de tempo de revelação (cada foto tem o seu – dependendo se ela é mais clara ou mais escura).

No caso você pega uma tira de papel fotográfico e revela uma parte da sua foto onde tem mais partes “claras e escuras” juntas e faz um teste com 3 exposições (ou mais) de tempos diferentes.

No meu caso as primeiras sairam todas pretas! Estava usando segundos e no caso da minha foto eram milissegundos que precisava! O_o

Esse é um dos testes – se me lembro bem foram 6/4/2 milissegundos de exposição. Escolhi revelar ela com 6!

Oficina de Revelação e Ampliação P&B na CCMQ

Em cada teste você revela a foto – passa pelos 3 químicos (revelador/interruptor/fixador) e olha na luz “normal” (cerca de 5 minutos no total).

Na segunda foto depois de muito testar tinha encontrado o tempo certo – fui feliz fazer o teste final e a foto saiu preta! *decepção* E depois preta novamente! E quando me toquei os testes dos colegas também estavam ficando pretos – o papel tinha queimado por causa de um mini vazamento de luz! :P

Daí já nem lembrava mais qual tempo era o certo! Kkkkkkk! Tudo isso num calor de quase 40 graus! Êta felicidade! Kkkkkkk!

No final, só consegui revelar duas fotos! Uma com dupla exposição e outra com movimento borrado – ambas tiradas com a minha Yashica-B! :)

Oficina de Revelação e Ampliação P&B na CCMQ

Só sei que essa oficina é só alegria! Quero fazer de novo – assim que terminar meu próximo filme preto e branco!
Não sei se estava mais feliz por estar revelando minhas próprias fotos ou por ter conseguido tirar fotos com a Yashica-B!

P.S. As fotos do post foram todas tiradas com o celular, por isso não ficaram muito boas! :P

Comentários!
  1. É mesmo muito emocionante revelar a própria foto! Fiz isso quando estava na faculdade, mas foi com filme comum, 35mm colorido. Eu lembro de ficar radiante ao ver a imagem aparecer no papel! =P